Doutrina Espírita

Loading...

domingo, 12 de maio de 2013

Prece de Cáritas


Deus, nosso Pai, que sois todo Poder e Bondade,
Dai a força àquele que passa pela provação,
Dai a luz àquele que procura a verdade; ponde no coração do homem a compaixão e a caridade!
Deus,
Dai ao viajor a estrela guia, ao aflito a consolação, ao doente o repouso.
Pai,
Dai ao culpado o arrependimento, ao espírito a verdade, à criança o guia, e ao órfão o pai!
Senhor,
Que a Vossa Bondade se estenda sobre tudo o que criastes.
Piedade, Senhor, para aquele que vos não conhece, esperança para aquele que sofre.
Que a Vossa Bondade permita aos espíritos consoladores derramarem por toda a parte, a paz, a esperança, a fé.
Deus!
Um raio, uma faísca do Vosso Amor pode abrasar a Terra;
deixai-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita, e todas as lágrimas secarão, todas as dores se acalmarão.
E um só coração, um só pensamento subirá até Vós, como um grito de reconhecimento e de amor.
Como Moisés sobre a montanha, nós Vos esperamos com os braços abertos, oh Poder!, oh Bondade!, oh Beleza!, oh Perfeição!, e queremos de alguma sorte merecer a Vossa Divina Misericórdia.
Deus,
dai-nos a força para ajudar o progresso, afim de subirmos até Vós; dai-nos a caridade pura, dai-nos a fé e a razão;
dai-nos a simplicidade que fará de nossas almas o espelho onde se refletirá a Vossa Divina e Santa Imagem. Assim seja!
http://www.fraternidadeassis.com.br/harmonia/prece-caritas

PRECONCEITO X IGUALDADE!


A CIDADANIA só existe quando todos as pessoas têm os mesmos direitos e deveres, independente de sexo, etnia, idade, religião ou condição social, os quais são próprios da existência humana.

Porém, infelizmente, nem sempre o cidadão é respeitado. Observamos em nosso cotidiano situações que geram desigualdades.
Art. 5º- CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL(1988):Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza,(...)
Liberdade! Liberdade!
Abra as asas sobre nós
E que a voz da IGUALDADE,
Seja sempre a nossa voz (...)
* Estrofe do samba enredo, Unidos da Tijuca.
Já esgotou o tempo, vamos refletir e mudar. Pois, o verdadeiro cidadão é aquele que se faz ou se transforma dia-a-dia, nas pequenas e grandes ocasiões!
Com carinho, da sonhadora profª e cidadã Luciara.
Mamães!
Mãe é a mulher que gera e dá à luz uma criança, mas também pode ser aquela que cria com todo carinho e amor um filho que não gerou. Ser mãe é dom divino, com dificuldades e acertos...
No Brasil, o Dia das mães é comemorado sempre no segundo domingo de maio (de acordo com decreto assinado em 1932 pelo então presidente Getúlio Vargas. É uma data especial, porém as MAMÃES devem ser sempre lembradas!
Na Antiga Grécia  encontramos os primeiros vestígios de comemoração desta data. Os gregos prestavam homenagens a deusa Réia, mãe de todos os seres. Neste dia, os  gregos faziam oferendas, além de prestarem  homenagens à deusa.
Porém, a comemoração tomou um caráter cristão somente nos primórdios do cristianismo. Era uma celebração realizada  em homenagem a Virgem Maria, a mãe de Jesus ( Mãe das mães).
Mas uma comemoração mais semelhante a dos dias atuais podemos encontrar na Inglaterra do século XVII. Era o “Domingo das Mães”.  Durante as missas, os filhos entregavam presentes para suas mães. Era um dia destinado a visitar as mães e dar presentes, muito parecido com que fazemos atualmente...
Já nos Estados Unidos, a ideia de criar uma data em homenagem às mães foi proposta, em 1904, por Anna Jarvis. A ideia de Anna era criar uma data em homenagem a sua mãe que havia sido um exemplo de mulher, pois havia prestado serviços comunitários durante a Guerra Civil Americana. A data foi oficializada, em Maio de 1914, pelo presidente  Thomas Wilson. 
Após estes eventos, a data espalhou-se pelo mundo todo, porém ganhando um caráter mais comercial. A essência da data estava sendo esquecida e foco passou a ser a compra de presentes, deixando-se de lado o verdadeiro significado para ser um dia com maior expressão comercial, infelizmente! 
O maior e verdadeiro presente que um filho pode dar a sua MÃE, é o AMOR E O RESPEITO!
Acesse o linck: "Mães Más"... e reflita!
Abraços com carinho, da MÃE Luciara `a todas as MAMÃES!



Vani, saudades!!!
Mila, saudades!!!

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Estou de volta...


Amigos, após uns percalços e quase 2 anos de licença interesse, estou na ativa... 
Como a vida é cheia de conquistas, desafios... estou  em um novo desafio, trabalhando na 39ª CRE, realizando um trabalho bem diferente ao qual estava acostumada, mas com o grupo de colegas que lá encontrei, já estou  familiarizada. 
Assim sendo, iniciei ontem um curso EAD sobre o Sistema de Eventos e Certificações. Vou reaprender e aprender novos "caminhos e ferramentas" da era digital.
Sejamos todos bem vindos!
Abraços, Luciara.

Queridos!

Pedro Henrique e Vani, meus queridos. Felizes com o Luiz Afonso e o Alfeu.
A saudade é grande, mas é o amor que fica...
A saudade é grande, mas o amor é eterno...
Busquem e fiquem com Deus...



sexta-feira, 4 de novembro de 2011

PAIS ESPÍRITAS DEVEM MINISTRAR A EDUCAÇÃO DOUTRINÁRIA A SEUS FILHOS...

Da Obra “O CONSOLADOR” – Espírito: EMMANUEL – Médium: FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER - Digitado por: Lúcia Aydir.
113 – Os pais espiritistas devem ministrar a educação doutrinária a seus filhos ou podem deixar de fazê-lo invocando as razões de que, em matéria de religião, apreciam mais a plena liberdade dos filhos?
O período infantil, em sua primeira fase, é o mais importante para todas as bases educativas, e os pais espiritistas cristãos não podem esquecer seus deveres de orientação aos filhos, nas grandes revelações da vida. Em nenhuma hipótese, essa primeira etapa das lutas terrestres deve ser encarada com indiferença.
O pretexto de que a criança deve desenvolver-se com a máxima noção de liberdade pode dar ensejo a graves perigos. Já se disse, no mundo, que o menino livre é a semente do celerado. A própria reencarnação não constitui, em si mesma, restrição considerável à independência absoluta da alma necessitada de expiação e corretivo?
Além disso, os pais espiritistas devem compreender que qualquer indiferença nesse particular pode conduzir a criança aos prejuízos religiosos de outrem, ao apego do convencionalismo, e à ausência de amor à verdade.
Deve nutrir-se o coração infantil com a crença, com a bondade, com a esperança e com a fé em Deus. Agir contrariamente a essas normas é abrir para o faltoso de ontem a mesma porta larga para os excessos de toda sorte, que conduzem ao aniquilamento e ao crime.
Os pais espiritistas devem compreender essa característica de suas obrigações sagradas, entendendo que o lar não se fez para a contemplação egoística da espécie, mas, sim, para santuário onde, por vezes, se exige a renúncia e o sacrifício de uma existência inteira.
Fonte: http://www.autoresespiritasclassicos.com/Chico%20Xavier%20-%20Obras%20de%2001%20a%2050/13%20-%20O%20CONSOLADOR%20(Chico%20Xavier%20-%20Emmanuel).pdf


A fé sem obras é uma lâmpada apagada. Nunca nos esqueçamos de que o ato de desanimar os outros, nas santas aventuras do bem, é um dos maiores pecados diante do poderoso e compassivo Senhor. (Emmanuel)

A fé necessita de uma base, e essa base é a perfeita compreensão daquilo em que se deve crer. Para crer, não basta ver, é necessário compreender. (Allan Kardec)

terça-feira, 25 de outubro de 2011

BEM AVENTURADOS OS AFLITOS - EVANGELHO SEGUNDO ESPIRITISMO - CAP.V

1. Bem-aventurados os que choram, pois que serão consolados. – Bem-aventurados os famintos e os sequiosos de justiça, pois que serão saciados. – Bem-aventurados os que sofrem perseguição pela justiça, pois que é deles o reino dos céus. (S. MATEUS, 5:4, 6 e 10.)
2. Bem-aventurados vós, que sois pobres, porque vosso é o reino dos céus. – Bem-aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis saciados. – Ditosos sois, vós que agora chorais,porque rireis. (S. LUCAS, 6:20 e 21.)
Mas, ai de vós, ricos! que tendes no mundo a vossa consolação. – Ai de vós que estais saciados, porque tereis fome.– Ai de vós que agora rides, porque sereis constrangidos a gemer e a chorar. (S. LUCAS, 6:24 e 25.)
JUSTIÇA DAS AFLIÇÕES
3. Somente na vida futura podem efetivar-se as compensações que Jesus promete aos aflitos da Terra. Sem a certeza do futuro, estas máximas seriam um contra-senso; mais ainda: seriam um engodo. Mesmo com essa certeza, dificilmente se compreende a conveniência de sofrer para ser feliz. É, dizem, para se ter maior mérito. Mas, então, pergunta-se: por que sofrem uns mais do que outros? Por que nascem uns na miséria e outros na opulência, sem coisa alguma haverem feito que justifique essas posições? Por que uns nada conseguem, ao passo que a outros tudo parece sorrir? Todavia, o que ainda menos se compreende é que os bens e os males sejam tão desigualmente repartidos entre o vício e a virtude; e que os homens virtuosos sofram, ao lado dos maus que prosperam. A fé no futuro pode consolar e infundir paciência, mas não explica essas anomalias, que parecem desmentir a justiça de Deus. Entretanto, desde que admita a existência de Deus, ninguém o pode conceber sem o infinito das perfeições. Ele necessariamente tem todo o poder, toda a justiça, toda a bondade, sem o que não seria Deus. Se é soberanamente bom e justo, não pode agir caprichosamente, nem com parcialidade. Logo, as vicissitudes da vida derivam de uma causa e, pois que Deus é justo, justa há de ser essa causa. Isso o de que cada um deve bem compenetrar-se. Por meio dos ensinos de Jesus, Deus pôs os homens na direção dessa causa, e hoje, julgando- os suficientemente maduros para compreendê-la, lhes revela completamente a aludida causa, por meio do Espiritismo, isto é, pela palavra dos Espíritos.
EVANGELHO SEGUNDO ESPIRITISMO
Provocações e problemas, habitualmente, são testes de resistência, necessários a evolução e aprimoramento da própria vida. A paciência é a escora íntima que auxilia a criatura a atravessá-los com o proveito devido.O desespero, entretanto, é a sobretaxa de sofrimento que a pessoa impõe a si mesma, complicando todos os processos de apoio que a conduziriam a tranquilidade e ao refazimento.O desespero é comparável a certo tipo de alucinação, estabelecendo as maiores dificuldades para aqueles que o hospedam na própria alma. Disse Jesus:
"Bem-aventurados os aflitos porque serão consolados", mas urge reconhecer que os aflitos inconformados, sempre acomodados com o desespero, acima de tudo, são enfermos que se candidatam a socorro e medicação.
Mensagem extraída do livro HOJE, Francisco Cândido Xavier - pelo Espírito Emmanuel.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

CONHEÇA A SÉRIE PSICOLÓGICA JOANNA DE ÂNGELES



Jesus e Atualidade-1989
Nesse livro, a autora espiritual separa 20 situações aflitivas contemporâneas buscando soluções na terapia de Jesus, profundo conhecedor da psique humana, que desvelava com naturalidade as mais intrigantes personalidades psicopatológicas, propondo a terapia compatível, cuja excelência é reconhecida pelos mais avançados estudos psicológicos.
O Homem Integral-1990
Ensaio de psicologia espírita que demonstra que a Filosofia e a Psicologia tentam compreender o homem através de processos que fragmentam a sua realidade. A autora espiritual, durante 9 capítulos divididos em temas, apresenta o homem como ser integral.
Plenitude-1991
Os vários tipos de sofrimentos físicos e morais empurram multidões para os vícios, as fugas e o desespero. Nessa obra, a autora espiritual faz uma profunda análise psicológica dos aspectos do sofrimento, propondo a solução espírita, convidativa ao autodescobrimento, à vivência evangélica e ao comportamento lúcido, requisitos essenciais para a conquista da plenitude.
Momentos de Saúde-1991
Apresenta inúmeras mensagens profundamente consoladoras que estimulam a viver bem. Joanna aborda as dificuldades do relacionamento humano, levando o leitor a certificar-se de que realmente é possível ser feliz, superando quaisquer empecilhos. Obra lindamente ilustrada.
O Ser Consciente-1993
Essa obra faz parte da trilogia iniciada com O homem integral, seguida de Plenitude e concluída de maneira ímpar. Calcada no estudo da personalidade humana, a mentora examina e explica os múltiplos fatores que constituem o ser, denominando-os: Quarta Força, Ser e Pessoa, Problemas e Desafios, Fatores de Desintegração da Personalidade, A Conquista do self, Silêncio Interior, entre outros.
Autodescobrimento – uma busca interior-1995
Mais um ensaio de psicologia espírita, em que Joanna de Ângelis analisa no ser real, os conflitos, o inconsciente e o subconsciente, a viagem interior, os transtornos comportamentais, o pânico, a amargura, a conquista de si, entre outros, facultando que cada um descubra seus limites reais e suas verdadeiras aspirações.
Desperte e Seja Feliz-1996
Livro de base psicológica, no qual Joanna de Ângelis propõe 30 questões-desafio, que frequentemente inquietam as pessoas. É um convite ao “despertamento” para os valores espirituais da vida, lembrando as lições de Jesus, sem verbalismo ou fórmulas inócuas, mas demonstrando sua riqueza psicológica e terapêutica.
Vida: Desafios e Soluções-1997
A mensageira da imortalidade oferece neste livro, em linguagem simples e acessível, estudos dos problemas humanos à luz da psicologia espírita com os subsídios da Psicologia Transpessoal, a fim de minorar os problemas e dificuldades da existência corporal, preparando o Espírito para a sua destinação futura. Temas delicados são tratados com beleza e oportunidade para entendimento dos aparentes enigmas da reencarnação, propondo soluções para as dificuldades de relacionamento, de comportamento e da nossa existência.
Amor, Imbatível Amor-1998
Nesse livro são abordados temas de profundo interesse para os leitores. O amor sob várias angulações, desde a visão de Reich com a sua proposta do prazer, passando pelos modernos psicólogos humanistas e transpessoais, culminando com a visão espírita libertadora e ideal.
O Despertar do Espírito-2000
Como o título apresenta, é um aprofundado estudo do ser existencial sobrevivente ao túmulo e anterior ao berço, passando pelas diversas etapas das experiências humanas durante a reencarnação. Analisando e apresentando soluções para muitos dos distúrbios psicológicos da atualidade, a nobre benfeitora orienta o leitor a encontrar a saúde emocional, psíquica e espiritual.
Jesus e o Evangelho à Luz da Psicologia Profunda-2000
Celebrando os dois mil anos do nascimento de Jesus, esse livro, em análise cuidadosa, apresenta a Sua perfeita identificação com os dois conteúdos psicológicos do animus com o anima, o que d’Ele fez o Ser ideal e modelar para a Humanidade. Conclama o leitor a mudanças de comportamento e de atitudes perante a vida.
Triunfo Pessoal-2002
A benfeitora espiritual Joanna de Ângelis apresenta importantes subsídios à Filosofia, à Ciência e à Religião, focalizando temas relacionados com a nossa felicidade. Temas atuais como depressão, transtornos obsessivos-compulsivos, esquizofrenia, terrorismo, síndrome do estresse pós-traumático, fobias e sociopatias, além de outros tormentos psicológicos são abordados sob propostas psicoterapêuticas baseadas na descoberta do Ser Integral e na identificação dos valores do self.
Conflitos Existenciais-2005
Foram reunidos nesse livro vários exemplos de comportamentos perturbadores que se apresentam como testes de resistência para o indivíduo humano. A temática é tratada ora à luz da psicologia, ora da psicanálise, ora da psiquiatria, porém, sob a visão espírita, convidando o leitor à reflexão, à cuidadosa análise em torno da existência de que desfruta.
Encontro com a Paz e a Saúde-2007
Esse livro mostra que homem precisa harmonizar o ego com o self, entender o significado da vida e trabalhar para a autorealização, para a conquista real da saúde emocional, resultando em equilíbrio físico e mental.
Em Busca da Verdade-2009
A mensagem dessa obra mostra ao leitor que quando o self identifica a necessidade de ser gentil, caridoso e afável, portador de compaixão e humanitarismo, desloca-se da função convencional para externar o divino que nele existe, reaproximando-o de Deus.
http://www.fergs.org.br/congresso/introducao/serie-psicologica-joanna-de-angelis/

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

DIVALDO FRANCO: AFIRMAÇÕES IMPORTANTES...

Ressalto alguns pontos importantes, esclarecedores e emocionantes, da palestra ministrada por Divaldo em Passo Fundo, os quais desejo compartilhar:
" Os acontecimentos atuais no Planeta, são tragédias geológicas, porém o pior acontecimento é a poluição mental! A ambição humana, o orgulho, o interesse, o materialismo... são destrutivos; por exemplo: não assinar o Protocolo de Kioto.
O Planeta Terra - provas e expiações - está passando por uma transição - para o mundo de regeneração. Todos os acontecimentos, tipo: tsunamis, acidentes em massa..., fazem parte dessa transição -" fim do mundo inferior "- limpeza moral e cabe a nós fazermos a reforma íntima, corrigir nossos erros. Ninguém consegue ludibriar a consciência! Quem perseverar até o fim será salvo!
Transformamos pântanos em jardins, porém não transformamos nossas atitudes para LEI DO AMOR.
Fomos de alguma forma hansenianos em nossa alma ..., conduta vergonhosa e devassa !
Ninguém consegue ludibriar a consciência! Quem perseverar até o fim será salvo!
Está ocorrendo a perda do verdadeiro sentido da FAMÍLIA: não podemos deixar a família se esfacelar. É preciso tomar as rédeas para cuidar de nossos filhos - lutar contra as drogas, a depressão, a violência...
O CAMINHO DEVE SER O DO AMOR!!! "
FAÇAMOS A NOSSA PARTE E COM A GRAÇA DE DEUS E JESUS
COLHEREMOS BONS FRUTOS!
ORAI E VIGIAI!

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

SEMINÁRIO: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA - 06/10

Estamos no limiar da grande transição, em que o nosso planeta passará da condição de mundo de provas e expiações para mundo de regeneração. Isso já constava no planejamento celestial há muito tempo e não se dará, obviamente, num passe de mágica, pois se trata de um processo de transformação lento e gradual, porém, impostergável. As tragédias naturais, como o tsunami do Oceano Índico – objeto de nossas considerações – fazem parte desse processo, pois elas têm o objetivo de fazer a Humanidade progredir mais depressa, através do expurgo daqueles Espíritos calcetas, refratários à ordem e à evolução moral e espiritual, que já não podem mais ser retardadas. Eles passarão algum tempo em outras esferas, aprendendo as leis do Amor e do Bem, até que tenham condições de retornar ao nosso planeta, para dar seu contributo em benefício do progresso da Humanidade. Nesta extraordinária obra, o leitor conhecerá os mecanismos e as razões de Ordem Superior da transição planetária, em favor das mudanças urgentes e necessárias que promovam o respeito às leis à ética e à Natureza, transformando o homem num ser integral, consciente dos seus deveres para com Deus, consigo próprio e o próximo.
( OBRA: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA. ESPÍRITO: MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA. PSICOGRAFIA:DIVALDO PEREIRA FRANCO.)

Vamos participar e nos esclarecer. Assim como, ler as obras. O assunto é de inteira importância!

ANIVERSÁRIO DE ALLAN KARDEC - 03 DE OUTUBRO


HIPPOLYTE LÉON-DENIZARD RIVAIL (ALLAN KARDEC) - Allan Kardec nasceu Hippolyte Léon-Denizard Rivail, em 03 de Outubro de 1804 em Lyon, França, no seio de uma antiga família de magistrados e advogados. Educado na Escola de Pestalozzi, em Yverdum, Suíça, tornou-se um de seus discípulos mais eminentes.
Foi membro de várias sociedades sábias, entre as quais a Academie Royale d'Arras. De 1835 à 1840, fundou em seu domicílio cursos gratuitos, onde ensinava química, física, anatomia comparada, astronomia, etc.
Dentre suas inúmeras obras de educação, podemos citar: "Plano proposto para a melhoria da instrução pública" (1828); "Curso prático e teórico de aritmética (Segundo o método de Pestalozzi)", para uso dos professores primários e mães de família (1829); "Gramática Francesa Clássica" (1831); "Programa de cursos usuais de química, física, astronomia, fisiologia"(LYCÉE POLYMATIQUE); "Ditado normal dos exames da Prefeitura e da Sorbonne", acompanhado de "Ditados especiais sobre as dificuldades ortográficas (1849).
Por volta de 1855, desde que duvidou das manifestações dos Espíritos, Allan Kardec entregou-se a observações perseverantes sobre esse fenômeno, e, se empenhou principalmente em deduzir-lhe as conseqüências filosóficas.
Nele entreviu, desde o início, o princípio de novas leis naturais; as que regem as relações do mundo visível e do mundo invisível; reconheceu na ação deste último uma das forças da Natureza, cujo conhecimento deveria lançar luz sobre uma multidão de problemas reputados insolúveis, e compreendeu-lhe a importância do ponto de vista religioso.
As suas principais obras espíritas são: "O Livro dos Espíritos", para a parte filosófica, e cuja primeira edição surgiu em 18 de Abril de 1857; "O Livro dos Médiuns", para a parte experimental e científica (Janeiro de 1861); "O Evangelho Segundo o Espiritismo", para a parte moral (Abril de 1864); "O Céu e o Inferno", ou "A Justiça de Deus segundo o Espiritismo" (Agosto de 1865); "A Gênese, os Milagres e as Predições (Janeiro de 1868); "A Revista Espírita", jornal de estudos psicológicos.
Allan Kardec fundou em Paris, a 1º de Abril de 1858, a primeira Sociedade Espírita regularmente constituída, sob o nome de "Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas".
Casado com Amélie Gabrielle Boudet, não teve filhos.
Trabalhador infatigável, desencarnou no dia 31 de março de 1869, em Paris, da maneira como sempre viveu: trabalhando. ("Obras Póstumas", Biografia de Allan Kardec, edição IDE)
Missão de Allan Kardec - "A missão dos reformadores está cheia de escolhos e de perigos e a tua é rude, disso te previno, porque é o mundo inteiro que se trata de agitar e de transformar." - Espírito Verdade (Obras Póstumas)
“Escrevo esta nota no dia 1º de janeiro de 1867, dez anos e meio depois que esta comunicação me foi dada, e verifico que ela se realizou em todos os pontos, porque experimentei todas as vicissitudes que nela me foram anunciadas. Tenho sido alvo do ódio de implacáveis inimigos, da injúria, da calúnia, da inveja e do ciúme; têm sido publicados contra mim infames libelos; as minhas melhores instruções têm sido desnaturadas; tenho sido traído por aqueles em quem depositara confiança, e pago com a ingratidão por aqueles a quem tinha prestado serviços. A Sociedade de Paris tem sido um contínuo foco de intrigas, urdidas por aqueles que se diziam a meu favor, e que, mostrando-se amáveis em minha presença, me detratavam na ausência.
Disseram que aqueles que adotavam o meu partido eram assalariados por mim com o dinheiro que eu arrecadava do Espiritismo. Não mais tenho conhecido o repouso; mais de uma vez, sucumbi; sob o excesso do trabalho, tem-se-me alterado a saúde e comprometido a vida.
“Entretanto, graças à proteção e à assistência dos bons Espíritos, que sem cessar me têm dado provas manifestas de sua solicitude, sou feliz em reconhecer que não tenho experimentado um único instante de desfalecimento nem de desânimo, e que tenho constantemente prosseguido na minha tarefa com o mesmo ardor, sem me preocupar com a malevolência de que era alvo. Segundo a comunicação do Espírito Verdade, eu devia contar com tudo isso, e tudo se verificou.” - Allan Kardec
http://www.institutoandreluiz.org/allan_kardec.html

PERDA DE ENTES QUERIDOS

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

PENSAMENTO - AGENTE MODELADOR


(...)"Os Espíritos atuam sobre os fluidos espirituais, não manipulando-os como os homens manipulam os gases, mas empregando o pensamento e a vontade. Para os Espíritos, o pensamento e a vontade são o que é a mão para o homem. Pelo pensamento, eles imprimem àqueles fluidos tal ou qual direção, os aglomeram, combinam ou dispersam, organizam com eles conjuntos que apresentam uma aparência, uma forma, uma coloração determinadas; mudam-lhes as propriedades, como um químico muda a dos gases, ou de outros corpos, combinando-os segundo certas leis." (A Gênese - Allan Kardec - cap. XIV - item 14)
Comandando o cérebro está a mente, manancial dos nossos pensamentos. Quando a mente lança um pensamento no ar, materializa uma onda de natureza sutilíssima, cujo comprimento e vitalidade dependem da potência mental e da constância no pensar. Essa onda pode ser captada por uma outra estação mental, quando lhe sintonize, mantendo-se ambas em comunhão, absorvendo e fazendose absorver, em troca de idéias geradoras de sombras ou luminosidade, conforme seja o teor da mensagem intercambiada.
O pensamento possui a propriedade de modelar formas e imagens, sendo estas, efêmeras ou duradouras, a depender das energias que as alimentem. Vibrando nos acordes do amor, ilumina o perispírito, dando-lhe leveza, fazendo com que tais energias dele se volatizem, sem deixar qualquer nódoa ou mancha prejudicial. No sentido oposto, detendo-se no ódio, as energias hostis que o alimentam, deixam resíduos indesejáveis, fuligem cáustica no tecido perispiritual, cuja drenagem geralmente se faz através do corpo físico, em formas patogênicas diversas. O corpo físico funcionando qual aspirador ou mata-borrão para os fluidos densos acumulados no perispírito, atrai para si as mazelas resultantes do descontrole do Espírito. Grande é a responsabilidade com o nosso pensar... O pensamento, sempre antecedendo a ação, nos indica ser o seu controle uma regra áurea para as boas construções. Quando são selecionados e sintonizados com o bem, agem como bisturis removendo os hematomas perispirituais, em cirurgias plásticas modeladoras. Jamais afastaremos os hábitos seculares anti-fraternos sem a renovação dos pensamentos. Quando pensamos de maneira altruísta abrigando a paz, a doação, a fraternidade, nosso ser fica impregnado de energias revigorantes, facultando pela persistência destas, a expulsão das idéias e imagens que não sintonizam com o novo estágio de evolução. Ao mesmo tempo, fechamos a porta para idéias pessimistas, que não conseguem se sobrepor à calma e à confiança embasadas no bom ânimo da fé raciocinada...
Quanto mais renovado o ser, mais entendimento traz para com as fraquezas alheias, sem contudo pactuar com elas. Selecionar pensamentos, policiar-se, não é tentar soterrar a todo custo a inferioridade que habita em nós e que aflora muitas vezes ao dia. É entender com naturalidade e com maturidade que a possuímos e envidar esforços para diminuí-la a cada dia, visto ser a evolução fruto de milênios. É não render-se ao comodismo; é o querer dinâmico; o conhecer a si para mudar a si; fazer luz, modelando o perispírito em formas translúcidas e menos vulneráveis às investidas da dor.
Comecemos cultivando o otimismo, a meditação, o estudo sério e compenetrado, o trabalho edificante e a prece, que isso afasta as idéias deprimentes oriundas da acomodação, das lamentações, da ignorância e da maledicência. Caso não seja acolhido tal procedimento e a invigilância venha a hospedar-se em nossa casa mental como soberana, ditando os velhos códigos do orgulho, egoísmo, ciúme e similares, a mente continuará viciada, incapacitada de impor a si a disciplina preventiva dos traumas, fobias e seqüelas dos quais são férteis o pensar invigilante.
O portador de tais estigmas modelará seu perispírito com as formas adensadas e obscuras alimentadas pela energia que dele emana, visto ser esse corpo ideoplástico, maleável ao pensamento, no que sofre grandes transformações sob o comando mental que, invigilante, passa a lesar suas células deformando-as.
O ser humano é em essência aquilo que reside em seu coração. E sendo os olhos as janelas da alma, eles lançam do que lá existe, direcionando pela força do pensamento, sobre o que projetam (...)
" ORAI E VIGIAI..."
(PERISPÍRITO E SUAS MODELAÇÕES, Capítulos 27 e 28).
* Grifos meus.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

PERISPÍRITO

Perispírito (do grego peri: em torno, e do latim: spiritus, alma, espírito), é o envoltório sutil e perene da alma, que possibilita sua interação com os meios espirituais e físicos.
"(...) O Espírito é, portanto, senhor do seu destino; criador de suas dificuldades construtor dos seus infortúnios e bem aventuranças; modelador do seu perispírito, usando a argamassa que o livre-arbítrio lhe permite. Os méritos e deméritos de bom ou mau artesão, no que resulta a delicadeza dos contornos da sua obra mediocridade conjuntural apresentada, ou ainda as deformidades degradantes que é portador, apresentando ulcerado ou fistuloso aquilo que deveria zelar..., são de sua inteira responsabilidade".
( pág.87) Perispírito e suas modelações.
O Livro dos Espíritos: " O perispírito ... é o princípio da vida orgânica, porém não o da vida intelectual, que reside no Espírito. "Ora não sendo o perispírito, realmente mais do que um simples agente de transmissão, pois que no Espírito é que está a consciência, lógico será deduzir-se que, se pudesse existir um perispírito sem Espírito aquele nada sentiria, exatamente como um corpo que morreu."O perispírito é um corpo em tudo dependente do Espírito que o comanda e modela. Gravam-se nele as lembranças do momento, efetuadas pelo Espírito, que as modifica conforme sua vontade. Sede e arquivo da memória é o Espírito; se assim não fosse, poder-se-ia extrair (caso existisse) de um perispírito sem Espírito toda a história de vida do seu antigo possuidor".O Livro dos Espíritos:
93 - O Espírito propriamente dito tem alguma cobertura ou está, como pretendem alguns, envolvido numa substância qualquer? - O Espírito está revestido de uma substância vaporosa para os teus olhos, mas ainda bem grosseira para nós; muito vaporosa, entretanto, para poder elevar-se na atmosfera e se transportar para onde queira. Assim como o germe de um fruto é envolvido pelo perisperma, da mesma forma o Espírito propriamente dito, está revestido de um envoltório que por comparação, pode-se chamar de perispírito.
94 - De onde o Espírito toma o seu invólucro semi-material? - Do fluido universal de cada globo. Por isso, ele não é o mesmo em todos os mundos. Passando de um mundo para outro, o Espírito troca seu envoltório, como mudais de roupa. - Assim, quando os Espíritos que habitam mundos superiores vêm entre nós, tomam um perispírito mais grosseiro? - Já o dissemos: é preciso que eles se revistam da vossa matéria.
95 - O envoltório semi-material do Espírito tem formas determinadas e pode ser perceptível? - Sim; tem uma forma que o Espírito deseja, e é assim que ele se vos apresenta algumas vezes, seja em sonho, seja em estado de vigília, podendo tomar forma visível e mesmo palpável.
PROPRIEDADES DO PERISPÍRITO
PLASTICIDADE: O perispírito, extensão da alma, é o eterno espelho da mente, moldando‐se de acordo com seu comando plasticizante. De fato, o corpo espiritual mostra “extremo poder plástico”, como assinala Emmanuel, adaptando‐se automaticamente às ordens mentais que brotam continuamente da alma.
DENSIDADE:Em “O Livro dos Médiuns”, item 51, o perispírito, agente da alma, não deixa
de ser matéria, ainda que de natureza quintessenciada. A densidade perispirítica varia de indivíduo para indivíduo. Diz Kardec: “Nos Espíritos moralmente adiantados, é mais sutil e se aproxima dos Espíritos Elevados; nos Espíritos inferiores, ao contrário, aproxima‐se da matéria e é o que faz os Espíritos inferiores de baixa condição conservarem por muito tempo as ilusões da vida terrestre.” (O Livro dos Médiuns).
A densidade psicossômica varia,de acordo com a evolução do Espírito, ditando, então, seu peso e sua luminosidade.
PONDERABILIDADE: Na dimensão espiritual, cada organização perispirítica tem o seu peso específico, que varia de acordo com a sua identidade, ditada, sobretudo, pelo estado de moralidade do Espírito. “Nossa posição mental, determina o peso específico do nosso envoltório espiritual e, conseqüentemente, o habitat que lhe compete. Mero problema de padrão vibratório.” (XAVIER, Francisco Cândido. ANDRÉ, Luiz, Espírito. Entre a Terra e o Céu. 16ª ed., Rio de Janeiro: FEB, 1995, p.126).
LUMINOSIDADE: A luminosidade – como a densidade – desponta como uma característica muito pessoal do Espírito. “A luz irradiada por um Espírito será tanto mais viva, quanto maior o seu adiantamento. Assim, sendo o Espírito, de alguma sorte, o seu próprio farol, verá proporcionalmente à intensidade da luz que produz, do que resulta que os Espíritos que não produzem acham‐se na obscuridade.” (O Céu e o Inferno. cap. IV.)
PENETRABILIDADE: A natureza etérea do perispírito permite ao Espírito – se presentes as necessárias condições mentais – atravessar qualquer barreira física. “Matéria nenhuma lhe opõe obstáculo; ele atravessa todas, como a luz atravessa os corpos transparentes. Daí vem que não há como impedir que os Espíritos entrem num recinto inteiramente fechado.” (Obras Póstumas).
Gabriel Delanne afirma: “(...) Mas, se supusermos um estado de matéria em que as moléculas sejam muito menos aproximadas e eminentemente tênues, poderá ela atravessar todas as substâncias, sem necessidade de manipulação. É o que se dá com o perispírito que, formado de moléculas menos condensadas que a matéria que conhecemos, não pode ser detido por nenhum obstáculo.” (DELANE, Gabriel. O Espiritismo perante a ciência. 2ª ed., Rio de Janeiro: FEB)
VISIBILIDADE: O perispírito em si, é invisível aos olhos físicos. Não o é para os Espíritos. Os menos adiantados percebem o corpo espiritual de seus pares, captando‐lhe o aspecto geral. Já os Espíritos Superiores, podem perscrutar a intimidade perispirítica de desencarnados de menor grau de elevação, bem como, a dos encarnados, observando‐lhes as desarmonias e as necessidades.
CORPOREIDADE: O corpo perispirítico, resultante de um campo que a alma projeta, aglutinador de recursos da natureza terrestre, surge como uma estrutura, por assim dizer, quase material, a instrumentá‐lo. É o corpo sutil da alma, matriz que molda o corpo físico, regendo com seus impulsos o desenvolvimento embrionário e fetal, imprimindo às células e tecidos em formação as suas características. O corpo material,retrata inteiramente o perispírito.
TANGIBILIDADE: O perispírito, com o suporte ectoplasmático que lhe dê expressão física, pode tornar‐se materialmente tangível, no todo ou em parte, pois tocando no corpo ectoplasmático, obviamente, toca‐se no perispírito que o sustenta.
SENSIBILIDADE GLOBAL: a percepção do meio que o envolve já não depende dos canais nervosos materiais, acontecendo como um registro global do perispírito, ou seja, uma percepção que o espírito realiza com todo seu ser. Assim, vê, ouve, sente, enfim, com o corpo espiritual inteiro (independente, mesmo, de posição ou direção).
SENSIBILIDADE MAGNÉTICA: O perispírito, campo de força que é, a sustentar uma estrutura semimaterial, apresenta‐se sensível à ação magnética.
EXPANSIBILIDADE: O perispírito, intrinsecamente indivisível, pode, conforme suas condições, expandir‐se, ampliando o seu campo de sensibilidade e também de percepção. A expansibilidade perispirítica, alias, está na base dos principais processos mediúnicos.
BICORPOREIDADE:termo criado por Kardec, que se relaciona ao fenômeno de desdobramento, embora, de certa forma, expressão mais adiantada de expansibilidade, defini‐se, como notável faculdade do perispírito, que possibilita, em condições especiais, o seu desdobramento (fazer‐se em dois). O perispírito, graças a essa propriedade, pode apresentar‐se bicorpóreo, ou seja, com um outro corpo, de forma igual ao físico, fluídico, com maior ou menor densidade, mas suscetível de ser visto e até tocado.
UNICIDADE: A estrutura perispirítica, como reflexo da alma, é única como esta. Não há perispíritos iguais, como, a rigor, inexistem almas idênticas. No decorrer do processo evolutivo, diminuem as diferenças e cresce a harmonização entre as almas, sem que, entretanto, a individualidade deixe de ser preservada no “grande todo”.
PERENIDADE: Não se pode imaginar a alma sem o perispírito, seu reflexo e ponto de contato com a realidade que a envolve e que se apura, se aprimora, com a própria evolução. O corpo espiritual é indestrutível como a própria alma. “A alma se encontra unida à substância perispíritica, que coisa nenhuma pode destruir... Nem os milhões de graus de calor dos sóis ardentes, nem os frios do espaço infinito tem ação sobre esse corpo incorruptível e espiritual. Somente a vontade o pode modificar, não, porém, mudando‐lhe a substância, mas expurgando‐a dos fluidos grosseiros de que se satura no começo de sua evolução”. (DELANE, Gabriel. A alma é imortal. 6ª Ed., Rio de Janeiro: FEB, 1990, p. 288: 3ª Parte., Cap. IV).
MUTABILIDADE: O perispírito, no decorrer de seu processo evolutivo, se não é suscetível de modificar‐se no que se refere à sua substância, o é com relação a sua estrutura ou forma.
“O envoltório perispíritico de um espírito se modifica com o progresso moral que este realiza em cada encarnação”.(KARDEC, Allan. A Gênese. 36ª Ed., FEB, p. 278: Cap. XIV, it.10).
CAPACIDADE REFLETORA: O corpo espiritual, extensão da alma que é, reflete contínua e instantaneamente os estados mentais. Todo pensamento encontra imediata ressonância na delicada tessitura perispiritual, produzindo dois tipos de efeitos: gera na aura a sua imagem, conhecida hoje, como forma‐ pensamento – variável, de acordo com a carga emocional (...)
ODOR: O perispírito, a refletir‐se na aura, caracteriza‐se, também, por odor particular, facilmente perceptível aos espíritos. “Todas as criaturas vivem cercadas pelo halo vital da energias que lhes vibram no âmago do ser e esse halo é constituído por partículas de força a se irradiarem por todos os lados, impressionando‐nos o olfato, de modo agradável ou desagradável, segundo a natureza do indivíduo que as irradia. Assim sendo, qual ocorre na própria terra, cada entidade aqui se caracteriza por exalação peculiar”. (XAVIER, Francisco Cândido. LUIZ, André ‐ Espírito. Ação e reação. 17ª Ed., Rio de Janeiro: FEB, 1996, p. 64. Cap. 5).
TEMPERATURA: Certos médiuns registram, por exemplo, uma espécie de gélido torpor, com a avizinhação de alguma alma sofredora, ou, ao contrário, uma cálida sensação de bem‐estar, quando da aproximação de um espírito superior. É licito cogitar que o perispírito também mostre uma espécie de temperatura própria, relacionada, naturalmente, com o grau de evolução do Espírito.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

PROGRAMA TRANSIÇÃO COM RAUL TEIXEIRA...

Através das sábias e esclarecedoras palavras do iluminado espírita Raul Teixeira, nós podemos nos tornar mais conscientes e perseverantes seguindo o rumo do bem, da paz, da humildade,
do perdão, da caridade, da felicidade ..., conforme as leis de Deus e Jesus.
Façamos cada um de nós a nossa parte e teremos uma sociedade melhor!
Que Deus nos ilumine e abençoe!

terça-feira, 30 de agosto de 2011

TOXICODEPENDÊNCIA

Remanescendo dos hábitos primários com predominância em indivíduos de constituição emocional frágil, o uso de substâncias psicoativas vem conduzindo larga faixa da Humanidade à toxicodependência.
Desfilam como fantasmas truanescos e atormentados os usuários do álcool, do tabaco e das drogas químicas que ameaçam o equilíbrio psicossocial dos grupos terrestres, devorados pela insensatez de traficantes perversos e criminosos que amealham fortunas ignóbeis através do arrebanhamento de multidões de enfermos para as fugas espetaculares da realidade na direção do aniquilamento orgânico em vã expectativa de extinção do corpo.
As grandiosas contribuições do pensamento, exteriorizado nas nobres realizações da Ciência e da Tecnologia, fomentaram também a corrida desenfreada pelo conforto excessivo e pelo poder irresponsável, na louca tentativa de possuir-se em abundância, para bem desfrutar-se com ganância.
Essa aspiração, que poderia ser valiosa se pautada em linhas de equilíbrio moral, normalmente empurra o ser para a competição alucinada, destruindo o sentido ético da existência humana pela volúpia do gozo da glória terrena.
Por consequência, o egoísmo solapa os ideais de fraternidade e de ventura coletiva, trabalhando em favor da individualização, ora muito bem vivenciada nas viagens, visitas e convivências virtuais, que vêm afastando as criaturas umas das outras mediante o relacionamento computadorizado, longe do calor das comunicações interpessoais, ricas de contato sensorial vitalizador.
De outra forma, as famílias mergulhadas no torvelinho dos interesses externos, desestruturam-se e os filhos são entregues a babás humanas ou eletrônicas, quando deveriam conviver com os pais e com eles haurir emoções de segurança propiciadas pelo amor, gerando responsabilidade e dever, que são essenciais para o respeito pela própria existência e a vida em todas as suas variadas expressões.
A ausência da ternura no lar e a permanência dos conflitos nos relacionamentos dos adultos oferecem à criança e ao jovem uma visão deformada da realidade, que passa a representar, no seu interior, um processo que deveria ser de segura formação psicológica, tornando-se um desafio que apavora e gera instabilidade, assim contribuindo para o favorecimento das fugas espetaculares para os vícios de toda natureza, quais a toxicodependência, o alcoolismo, o jogo de azar, conduzindo, não poucas vezes, ao suicídio e a outros comportamentos antissociais aberrantes e criminosos.
Não é, pois, de estranhar, quando crianças e jovens utilizam-se dos instrumentos de destruição para assassinarem colegas e mestres, ou quando adultos e adolescentes se armam para extermínios seriais, mais aumentando as estatísticas de pavor e de degradação humana.
A insegurança, portanto, que se deriva do abandono a que se veem relegadas as gerações novas, o desinteresse com que são toleradas, a irritação que provocam nos adultos imaturos e egotistas, que experienciam momentos de emotividade piegas tentando diminuir o impacto negativo dos seus comportamentos através de doações de coisas e caprichos, tornam difíceis o amadurecimento psicológico das mesmas, que se sentem atiradas ao sorvedouro da insensatez generalizada.
Concomitantemente, a má orientação escolar, pela falta de uma educação baseada em valores humanos e espirituais, apresentada por professores igualmente conflitivos e atormentados, torna-se porta de acesso ao desespero e à consequente queda no abismo da viciação.
É certo que existem incontáveis exceções, nas quais se apresentam pais e educadores, homens e mulheres nobres, mas sem uma conscientização geral que envolva autoridades, famílias e cidadãos na questão momentosa da prevenção das drogas, o problema visto pelo ângulo da repressão inconsequente, que somente pune os pequenos traficantes, ameaçando os usuários em desequilíbrio, sem alcançar os poderosos cartéis espalhados pelo mundo, de maneira alguma poderá modificar a gravidade do desafio, diminuindo-lhe sequer os excessos ou evitando-lhe a dominação.
Todos os indivíduos inseguros e conflituosos são vítimas em potencial do uso e do tráfico de drogas, que se encontram ao alcance de quantos desejem usá-las.
Por outro lado, a facilidade com que se vendem produtos farmacêuticos geradores de dependência química e propiciadores de transes alucinógenos ou de sensações de aparente paz, de relaxamento torna-se também estímulo poderoso para iniciações perigosas que terminam em abuso de substâncias destrutivas dos neurônios cerebrais e responsáveis por outros danos orgânicos irreparáveis e de alta essencialidade para a existência do ser.
Torna-se urgente uma política séria sobre as drogas químicas, a fim de ser corrigida e mesmo evitada a drogadição e criados Centros reeducativos para seus dependentes, através da qual haja seriedade no estudo, análise e aplicação dos esquemas de educação para a infância e a adolescência, ao lado de confiável compromisso familiar no que diz respeito à estruturação psicológica do educando.
A criança e o jovem, não obstante a aparência de fragilidade e a inocência ante as experiências atuais, são Espíritos vividos e portadores de largo patrimônio de conquistas positivas e negativas que lhes exornam a personalidade, facilmente despertáveis de acordo com os estímulos externos que lhes sejam apresentados. Eis porque os valores morais e éticos, quando cultivados, oferecem seguras diretrizes para o equilíbrio e a existência saudável, tornando-se antídoto valioso para o enfrentamento do perigo das drogas.
Somando-se a esses fatores externos os compromissos espirituais de cada criatura, não se pode negar a preponderância da interferência dos Espíritos desencarnados na conduta dos homens terrestres. Conforme as leis de afinidade e de sintonia, ocorrem as vinculações naturais, quando não de caráter recuperador em razão de antigos débitos para com aqueles que se sentem prejudicados ou que foram vitimados pela incúria e perversidade de quem os afligiu e infelicitou.
Nesse comenos, no período da iniciação ou mesmo antes dela, instalam-se as obsessões simples, que se convertem em problemas graves, derrapando para subjugações cruéis, nas quais, hóspedes e hospedeiro interdependem-se na usança das drogas devastadoras.
Quase sempre, após instalada a obsessão desse porte, o Espírito perturbador passa a experimentar o prazer gerador do vício, especialmente se antes da desencarnação esteve sob o jugo da infeliz conduta. Havendo desencarnado, mas não sucumbindo ante o tacape da morte, busca desesperado dar prosseguimento ao hábito doentio, sintonizando com personalidades fragilizadas e inseguras, levando-as à degradante toxicodependência.
A oração, as leituras edificantes, as conversações saudáveis, ao lado da terapêutica especializada, devem ser movimentadas para a recuperação do paciente e a sua entrega a Deus mediante os bons pensamentos e as ações relevantes que constituem recurso precioso para a terapia preventiva, assim como para a curadora.

Manoel Philomeno de Miranda
Psicografia de Divaldo Pereira Franco.
Em 28.08.2009.

FORÇAS INTERIORES DA MUDANÇA

Com o tema “Forças Interiores da Mudança”, a psicóloga, oradora internacional e pesquisadora universitária Drª Anete Guimarães, do Rio de Janeiro-RJ, nos brindou com a excelente palestra na Sociedade Colatinense de Estudos Espíritas (Colatina-ES). Filha de dois dos maiores palestrantes espírita do Brasil, Ana e Geraldo Guimarães, ela nos mostrou os recentes estudos e pesquisas da estrutura da mente humana e seus mecanismos de mudanças para melhoria do ser, com enfoque espiritualista. Ela é uma das maiores autoridades do assunto atualmente no mundo.
Agradeço à minha querida e excelente Psicóloga Candice, por ter me enviado este ótimo vídeo. Também a parabenizo pelas iluminadas palestras ministradas com muita clareza no Centro Espírita Perseverança Salvadora em Carazinho.
Que Deus e Jesus continue te abençoando e iluminando em teu trabalho científico e espírita. Você faz a diferença em minha família. Obrigada!
Abraços com carinho, Luciara.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

ESPIRITUALISMO E ESPIRITISMO


" Todo espírita é necessariamente espiritualista, mas nem todos os espiritualistas são espíritas".
* Espiritualismo: diz-se no sentido oposto ao do materialismo. Quem quer que acredite haver em si alguma coisa mais que matéria , é espiritualista. Não segue porém, que creia na existência dos Espíritos ou suas comunicações com o mundo visível. O espiritualismo é a base das religiões ,admite a existência de Deus e da alma. Contrapõe-se ao Materialismo, que só admite a matéria.Segundo o Materialismo no ser humano só haveria o corpo físico.
* Espiritismo ou Doutrina Espírita: tem por princípio as relações do mundo material com os Espíritos desencarnados ou seres do mundo invisível. Seus objetivos são esclarecer e consolar, promovendo a reforma íntima. Livro dos Médiuns, capítulo III:
"... Dissemos que o Espiritismo é toda uma ciência, toda uma filosofia. Quem, pois, seriamente queira conhecê-lo deve, como primeira condição, dispor-se a um estudo sério e persuadir-se de que ele não pode, como nenhuma outra ciência, ser aprendido a brincar. O Espiritismo também já o dissemos, entende com todas as questões que interessam a Humanidade; tem imenso campo, e o que principalmente convém é encará-lo pelas suas conseqüências. Formar-lhe sem dúvida a base a crença nos Espíritos, mas essa crença não basta para fazer de alguém um espírita esclarecido, como a crença em Deus não é suficiente para fazer de quem quer que seja um teólogo...
"Prolegômenos - Livro dos Espíritos:
" ... Os Espíritos anunciam que os tempos marcados pela Providência para uma manifestação universal e que, sendo os ministros de Deus e os agentes da sua vontade, cabe-lhes a missão de instruir e esclarecer os homens, abrindo uma nova era para a regeneração da Humanidade."
"Ocupa-te, com zelo e perseverança, do trabalho que empreendeste com o nosso concurso, porque esse trabalho é nosso. Nele pusemos as bases do novo edifício que se eleva e um dia deverá reunir todos os homens num mesmo sentimento de amor e caridade; mas, antes de o divulgares, revê-lo-e mos juntos afim de controlar todos os detalhes..."
"... Todos os princípios materiais que podem melhor representar o corpo e o Espírito nele se encontram reunidos: o corpo é o ramo; o Espírito é a seiva; a alma ou o espírito ligado à matéria é o bago. O homem quintessência o Espírito pelo trabalho e tu sabes que não é senão pelo trabalho do corpo que o espírito adquire conhecimentos".
"Não te deixes desencorajar pela crítica. Encontrarás contraditares encarniçados, sobretudo entre as pessoas interessadas em trapaças. Encontrá-los-ás mesmo entre os Espíritos, pois aqueles que não são completamente desmaterializados procuram, muitas vezes, semear a dúvida, por malícia ou por ignorância. Mas prossegue sempre; crê em Deus e marcha confiante: aqui estaremos para te sustentar e aproxima-se o tempo em que a verdade brilhará por toda parte..."
Quer saber mais? Acesse os links e boa pesquisa. Que a Luz da Doutrina enviada por Deus te ilumine e abençoe!
Livro dos Espíritos
Livro dos Médiuns.

domingo, 31 de julho de 2011

DEUS

"Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas".
Deus nosso Pai Criador, soberanamente justo, bom e misericordioso.
Compreender a natureza íntima de Deus:
AMOR – Como Pai, ama seus filhos providenciando para que a natureza possa prover nossas necessidades. Nos dá a inteligência para o nosso progresso.
SABEDORIA - Leis sábias e justas que regem todas as relações, todas as coisas, todo o Universo.
JUSTIÇA – Ele nos criou para progredirmos sempre. Ele nos concede pela Reencarnação (processo através do qual é concedido ao Espírito uma nova oportunidade de retornar a um novo corpo físico, especialmente preparado para ele) o ensejo de corrigirmos erros e imperfeições, de quitarmos débitos e continuarmos o aprendizado rumo à perfeição que é a nossa meta final.
Atributos de Deus:
Deus é a suprema e soberana inteligência:
Suprema: Superioridade; poder ou autoridade suprema; preponderância; proeminência; hegemonia; primazia. (De supremo.)
Soberana: Que ocupa o primeiro lugar; o mais elevado ou graduado , que exerce um poder supremo, absoluto; magnífico
Deus é eterno: Devemos entender como eterno o que não teve princípio, nem terá fim.
Deus é único: A unicidade de Deus é consequência do fato de serem infinitas as suas perfeições.
Deus é imutável: Entendemos como imutável, o que não se altera.
Deus é imaterial: A sua natureza difere de tudo o que "chamamos matéria". Se a sua natureza fosse material, ele estaria sujeito às próprias transformações da matéria (o que seria contraditório ao seu atributo de imutabilidade).
Deus é onipotente: Que tem poder ilimitado; Todo-Poderoso. Se Deus não possuísse o poder supremo, sempre se poderia conceber uma entidade tanto ou mais poderosa do que Ele. Todo o poder está em Deus.
Deus é soberanamente justo e bom: A providencial sabedoria das Leis Divinas, se revela das pequeninas, às maiores coisas. A soberana bondade implica na soberana justiça, porquanto, todos os seres foram criados da mesma forma, não havendo parcialidade, nem tratamento diferenciado com relação a qualquer de suas criaturas.
Deus é infinitamente perfeito: É impossível conceber-se Deus sem o infinito das perfeições, sem o que não seria Deus, pois sempre se poderia conceber um ser que possuísse o que lhe faltasse. Sendo infinitos os atributos de Deus, não são suscetíveis nem de aumento, nem de diminuição.
Deus é Onisciente: Que tudo sabe; cujo saber é ilimitado;
Deus é Onipresente: no sentido de que se encontra em todos os lugares, etc.
Em "O Livro dos Espíritos", Allan Kardec, na questão n.º 11, indaga: "Será dado um dia ao homem compreender o mistério da Divindade?" Os Espíritos responderam: "Quando não mais tiver o espírito obscurecido pela matéria. Quando, pela sua perfeição, se houver aproximado de Deus, ele o verá e compreenderá."
Deus, porém, não pode ser percebido pelo homem em sua divina essência. Mesmo depois de desencarnado, dispondo de faculdades perceptivas menos materiais, não pode ainda a espírito imperfeito perceber totalmente a natureza divina.
"Deus não se mostra, mas se revela pelas suas obras ..."
A inteligência de Deus se revela em suas obras como a de um pintor no seu quadro; mas, as obras de Deus não são o próprio Deus, como o quadro não é o pintor que o concebeu e executou.
( O Livro dos Espíritos – Das Causas Primárias – Perguntas 01 à 16; 50 à 51 )
( A Gênese – Cap. I, 10 à 16; 20; 24. Cap. II itens 1 à 7; 8 à 19)

sexta-feira, 29 de julho de 2011

ESPIRITISMO:FÉ RACIOCINADA...


Perguntas frequêntes - respostas esclarecedoras...
* O que é o Espiritismo?
É o conjunto de princípios e leis, revelados pelos Espíritos Superiores, contidos nas obras de Allan Kardec que constituem a Codificação Espírita: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese.
“O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal.” Allan Kardec (O que é o Espiritismo – Preâmbulo)
“O Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra; atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança.” Allan Kardec (O Evangelho segundo o Espiritismo – cap. VI – 4)
* O que diz o Espiritismo sobre Jesus?
Jesus é o guia e modelo para toda a Humanidade. E a Doutrina que ensinou e exemplificou é a expressão mais pura da Lei de Deus. A moral do Cristo, contida no Evangelho, é o roteiro para a evolução segura de todos os homens, e a sua prática é a solução para todos os problemas humanos e o objetivo a ser atingido pela Humanidade.<
* Os Espíritos sabem todas as coisas?
Os Espíritos são as almas dos homens que já perderam o corpo físico. A exemplo do que observamos na Humanidade encarnada, o conhecimento que eles têm é correspondente ao seu grau de adiantamento moral e intelectual. A morte é uma passagem para a vida espiritual e não dá valores morais ou de inteligência a quem não os tem.
* Os Espíritos podem reencarnar em corpos de animais?
Não. Os Espíritos evoluem sempre. Em suas múltiplas existências corpóreas podem estacionar, mas nunca regridem. A rapidez do seu progresso intelectual e moral depende dos esforços que façam para chegar à perfeição.
* Nas instituições espíritas há algum tipo de pagamento?
Não. Toda a prática espírita é gratuita, como orienta o princípio moral do Evangelho: “Dai de graça o que de graça recebestes”
* O Espiritismo revela algo novo?
Sim. O Espiritismo revela conceitos novos e mais aprofundados a respeito de Deus, do Universo, dos Homens, dos Espíritos e das Leis que regem a vida. Revela, ainda, o que somos, de onde viemos, para onde vamos, qual o objetivo da nossa existência e qual a razão da dor e do sofrimento.
* O que é reencarnação?
Os Espíritos reencarnam tantas vezes quantas forem necessárias ao seu aprimoramento. O objetivo da reencarnação é a evolução.

* O que é mediunidade?
A mediunidade, que permite a comunicação dos Espíritos com os homens, é uma faculdade que muitas pessoas trazem consigo ao nascer, independentemente da religião ou da diretriz doutrinária de vida que adotem. Mas atenção: prática mediúnica espírita só é aquela que é exercida com base nos princípios da Doutrina Espírita e dentro da moral cristã. Portanto, em hipótese alguma o médium poderá cobrar dinheiro, exigir ou aceitar qualquer forma de recompensa (presentes, dádivas, agrados, etc.) por suas atividades mediúnicas.
* O que são os Espíritos?
Os Espíritos são os seres inteligentes da criação. Constituem o mundo dos Espíritos, que preexiste e sobrevive a tudo. Os Espíritos são criados simples e ignorantes. Evoluem, intelectual e moralmente, passando de uma ordem inferior para outra mais elevada, até a perfeição, onde gozam de inalterável felicidade. Os Espíritos preservam sua individualidade, antes, durante e depois de cada encarnação.
* O que o Espiritismo informa sobre Jesus?
Jesus é o guia e modelo para toda a Humanidade. E a Doutrina que ensinou e exemplificou é a expressão mais pura da Lei de Deus. A moral do Cristo, contida no Evangelho, é o roteiro para a evolução segura de todos os homens, e a sua prática é a solução para todos os problemas humanos e o objetivo a ser atingido pela Humanidade.
* Onde vivem e o que fazem os Espíritos desencarnados?
Além do mundo corporal, habitação dos Espíritos encarnados, que são os homens, existe o mundo espiritual, habitação dos Espíritos desencarnados. Eles estudam, trabalham e desenvolvem diversas atividades no mundo espiritual.

* O Espiritismo tem entre seus princípios a crença em Deus?
Sim. O Espiritismo explica que Deus é a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas. É eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom. O Universo é criação de Deus. Abrange todos os seres racionais e irracionais, animados e inanimados, materiais e imateriais. Todas as leis da Natureza são leis divinas, pois que Deus é o seu autor. Abrangem tanto as leis físicas como as leis morais.
* O Espiritismo tem rituais ou sacerdotes?
Não. A prática espírita é realizada com simplicidade, sem nenhum culto exterior, dentro do princípio cristão de que Deus deve ser adorado em espírito e verdade. O Espiritismo não tem sacerdotes e não adota e nem usa em suas reuniões e em suas práticas: altares, imagens, andores, velas, procissões, sacramentos, concessões de indulgência, paramentos, bebidas alcoólicas ou alucinógenas, incenso, fumo, talismãs, amuletos, horóscopos, cartomancia, pirâmides, cristais ou quaisquer outros objetos, rituais ou formas de culto exterior.
* O Espiritismo é proselitista? Existem campanhas para que as pessoas se tornem Espíritas.
Não. O Espiritismo não impõe jamais os seus princípios. Convida os interessados em conhecê-lo a submeterem os seus ensinos ao crivo da razão, antes de aceitá-los.

* Como o Espiritismo se relaciona com as demais religiões?
O Espiritismo respeita todas as religiões e doutrinas, valoriza todos os esforços para a prática do bem e trabalha pela confraternização e pela paz entre todos os povos e entre todos os homens, independentemente de sua raça, cor, nacionalidade, crença, nível cultural ou social. Reconhece que “o verdadeiro homem de bem é o que cumpre a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza”.
* Espiritismo é o mesmo que Umbanda ou Candomblé?
Não. O Espiritismo é uma doutrina que surgiu na França, em 1857. Seu fundador foi Allan Kardec. O Candomblé (de origem africana) e a Umbanda (originária do Brasil) são doutrinas espiritualistas.
* Todos os Espíritos são iguais?
Não. Os Espíritos pertencem a diferentes ordens, conforme o grau de perfeição que tenham alcançado: Espíritos Puros, que atingiram a perfeição máxima; Bons Espíritos, nos quais o desejo do bem é o que predomina; Espíritos Imperfeitos, caracterizados pela ignorância, pelo desejo do mal e pelas paixões inferiores.
* Somente pelo Espiritismo se pode ter contato com os Espíritos?
Não. As relações dos Espíritos com os homens são constantes e sempre existiram. Os bons Espíritos nos atraem para o bem, sustentam-nos nas provas da vida e nos ajudam a suportá-las com coragem e resignação. Os imperfeitos nos induzem ao erro.
* O que é lei de causa e efeito?
É uma lei criada por Deus e que dispõe que o homem tem o livre-arbítrio para agir, mas responde pelas conseqüências de suas ações. O que fazemos de mal e de bem retornará para nós nessa mesma vida ou em existência posteriores. A vida futura reserva aos homens penas e gozos compatíveis com o procedimento de respeito ou não à Lei de Deus.
* O que é a prece, de acordo com o Espiritismo?
A prece é um ato de adoração a Deus. Está na lei natural e é o resultado de um sentimento inato no homem, assim como é inata a idéia da existência do Criador. A prece torna melhor o homem. Aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo, é este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade.
* O Que é o Atendimento Fraterno? Joanna de Angelis (Psicografia de Divaldo P.Franco)
O Atendimento Fraterno é porta de serviço edificante aberta a todas as criaturas que perderam o rumo ou se perderam em si mesmas.
Ouve sem cansaço, todos os problemas, com capacidade de entendimento e tolerância.
Não se afadiga; nunca se exaspera; permite que cada qual viva conforme sua capacidade intelectomoral; no entanto, se propõe a ajudá-lo a ascender.
Não anui com aquele que erra; todavia combate o erro; não se levanta contra o criminoso; antes, o ampara, invectivando contra o crime.
O atendimento fraterno é campo de trabalho solidário entre quem pede e aquele que doa. Graças a ele irmanam-se os indivíduos, compartem suas dores e repartem suas alegrias.
É da Lei que, aquele que mais possui deve multiplicar os bens, repartindo-os com aqueloutros que sofrem carência.
O atendimento fraterno objetiva acender luz na treva, oferecer roteiro no labirinto, proporcionar esperança no desencanto.
Felizes aqueles que se encontram a serviço da fraternidade, atendendo aos seus irmãos em sofrimento e contribuindo com segurança para sua elevação.
Jesus foi o exemplo superior do atendente fraterno, por excelência.
Não carregou o fardo das pessoas, porém ensinou-as, com seu sacrifício, a conduzirem os próprios grilhões a que se prendem voluntariamente, para que os arrebentem no calvário da imolação.
Abre-te, desse modo, ao atendimento fraternal, doando as tuas horas excedentes aos sofredores do caminho e auxiliando-os a entender o significado da vida e das existências corporais.
Não te escuses jamais, recordando-te d’Aquele que jamais se negou a ajudar fraternalmente.
wwww.febnet.org.br/site/conheca.php?SecPad=8&Sec=249

terça-feira, 19 de julho de 2011

MARIA EMÍLIA: MAMÃE QUERIDA!

Hoje a senhora retornou para Pátria espiritual, cumpriu sua missão neste plano como com muita dignidade, perseverança, amor e humildade.
Mãe exemplar, sempre nos ensinou o caminho do bem, até na sua passagem me ensinou.., aprendi muito com a senhora... tenho só que agradecer!
A saudade fica, mas o amor é eterno!
Um dia nos encontraremos...
Que os espíritos de luz e paz te acompanhem sempre.
Que assim seja!

Não há morte...
( Joanna de Ângelis - Divaldo Pereira Franco)
Depois que partiram do círculo carnal aqueles a quem amas, tens a impressão de que a vida perdeu a sua finalidade.
As horas ficaram vazias, enquanto uma angústia que te dilacera e uma surda desesperação que te mina as energias se fazem a constante dos teus momentos de demorada agonia.
Estiveram ao teu lado como bênção de Deus, clareando o teu mundo de venturas com o lume da sua presença e não pensaste, não te permitiste acreditar na possibilidade de que eles te pudessem preceder na viagem de retorno.
Cessados os primeiros instantes do impacto que a realidade te impôs, recapitulas as horas de júbilo enquanto o pranto verte incessante, sem confortaste, como se as lágrimas carregassem ácido que te requeima desde a fonte do sentimento à comporta dos olhos, não diminuindo a ardência da saudade...
Ante essa situação, o futuro se te desdobra sombrio, ameaçador, e interrogas como será possível prosseguir sem eles.
O teu coração pulsa destroçado e a tua dor moral se transforma em punhalada física, a revolver a lâmina que te macera em largo prazo.Temes não suportar tão cruel sofrimento. Conseguirás, porém, superá-lo.
Muito justas, sim, tuas saudades e sofrimentos.
Não, porém, a ponto de levar-te ao desequilíbrio, à morte da esperança, à revolta...
Os seres a quem amas e que morreram, não se consumiram na voragem do aniquilamento. Eles sobreviveram.
A vida seria um engodo, se se destruísse ante o sopro desagregador da morte que passa.
A vida se manifesta, se desenvolve em infinitos matizes e incontáveis expressões. A forma se modifica e se estrutura, se agrega e se decompõe passando de uma para outra expressão vibratória sem que a energia que a vitaliza dependa das circunstâncias transitórias em que se exterioriza.
Não estão, portanto, mortos, no sentido de destruídos, os que transitaram ao teu lado e se transferiram de domicílio.
Prosseguem vivendo aqueles a quem amas. Aguarda um pouco, enquanto, orando, a prece te luarize a alma e os envolvas no rumo por onde seguem.
Não te imponhas mentalmente com altas doses de mágoas, com interrogações pressionantes, arrojando na direção deles os petardos vigorosos da tua incontida aflição. Esforça-te por encontrar a resignação.
O amor vence, quando verdadeiro, qualquer distância e é ponte entre abismos, encurtando caminhos.
Da mesma forma que anelas por volver a senti-los, a falar-lhes, a ouvir-lhes, eles também o desejam.
Necessitam, porém, evoluir, quanto tu próprio. Se te prendes a eles demoradamente ou os encarceras no egoísmo, desejando continuar uma etapa que ora se encerrou, não os fruirás, porque estarão na retaguarda.
Libertando-os, eles prosseguirão contigo, preparar-te-ão o reencontro, aguardar-te-ão...
Faze-te, a teu turno, digno deles, da sua confiança, e unge-te de amor com que enriqueças outras vidas em memória deles, por afeição a eles.
Não penses mais em termos de "adeus" e, sim, em expressões de "até logo mais".
Todos os homens na Terra são chamados a esse testemunho, o da temporária despedida. Considera, portanto, a imperiosa necessidade de pensar nessa injunção e deixa que a reflexão sobre a morte faça parte do teu programa de assuntos mentais, com que te armarás, desde já, para o retorno, ou para enfrentar em paz a partida dos teus amores...
Quanto àqueles que viste partir, de quem sofres saudades infinitas e impreenchíveis vazios no sentimento, entrega-os a Deus, confiando-os e confiando-te ao Pai, na certeza de que, se souberes abrir a alma à esperança e à fé, conseguirás senti-los, ouvi-los, deles haurindo a confortadora energia com que te fortalecerás até ao instante da união sem dor, sem sombra, sem separação pelos caminhos do tempo sem fim, no amanhã ditoso.

Até logo mamãe, Deus te abençoe.
Com carinho e amor, sua filha Luciara.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

A OBSESSÃO E SUAS MÁSCARAS

Dra. Marlene Nobre
Esta obra trata de um estudo aprofundado do tema obsessão, relatando e estudando casos de toda a obra de André Luiz. O livro está dividido em duas partes principais, iniciando com a classificação das obsessões, seus aspectos patológicos tanto no campo físico quanto psicológico e espiritual, e a terapêutica para amenizar ou resolver o problema. Na segunda parte, o tema é o pensamento, mostrando que o homem é co-criador através das correntes mentais que produz, influenciando na Obra Divina e é por ela influenciado.
Obsessão é muito mais frequente que se imagina, sendo um dos piores flagelos da humanidade ( Gênese, cap. XIV), vai desde uma simples influência moral até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais. A grande teia da vida: sintonia é a base de tudo e o regime de comunhão dos pensamentos, palavras, atos para o bem ou para o mal = levam para sintonia conforme tal.
Tratamento e profilaxia: mudar os agentes que influenciam o pensamento negativo, meditar, orar, terapia energética: passe e água fluidificada; reuniões de desobsessão ( tratando e orientando o obsessor e obsediado). A renovação moral, o esforço em domar más inclinações, bem como, praticar o perdão/caridade e a bondade, são meios eficazes de prevenir e combater qualquer forma ou origem de obsessão.
" O processo de ódio é um processo de auto obsessão." (Chico Xavier)
" Orai e vigiai. "
Fontes: Palestra com a Dra. Marlene Nobre - presidente da AME,
no dia 09/07 em Passo Fundo.

ESTRESSE E ESPIRITUALIDADE

Por Dra. Marlene Rossi Severino Nobre
Para o grande público, estresse é uma situação picologicamente agressiva que repercute no corpo. Este, porém, é apenas um dos aspectos do estresse, a sua versão psicossomática, há outros, porém, a serem considerados. Na verdade, o ser humano vive em estado de estresse permanente, bombardeado por fatores estressantes diversos - físicos, psico-emocionais, e espirituais - que lhe exigem constante adaptação ao mundo que o cerca.
Os fatores estressantes emocionais tanto podem ser tristes,como a morte de um ente querido, o desemprego, quanto felizes, como o sucesso do atleta ou as alegrias do reencontro - todos desencadeiam, do mesmo modo, os mecanismos e as conseqüências do estresse. O mesmo acontece em relação aos abalos nervosos, como no estado de cólera, medo, etc., assim como frente aos fenômenos físicos nocivos -frio, calor, fadiga, agentes tóxicos ou infecciosos, jejum, exercícios físicos exagerados, etc.
Na verdade, o estresse é a resposta não específica que o corpo dá a toda demanda que lhe é feita. Ele corresponde à interação entre uma força e a resistência do organismo a esta força. É o complexo agressão-reação.
Se a agressão é ocasionada por uma grande diversidade de fatores, a reação comporta uma parte idêntica, comum a todos os indivíduos, e uma parte própria de cada um, denominada "coping" ou aspecto específico da reação não específica.
A medicina hoje considera a doença como sendo a resultante da agressão mais a reação não específica, mais reação específica. Isto pode ser resumido em estresse mais coping. Desse modo, considera-se a originalidade própria das reações específicas ao agente estressor, superpostas às reações não específicas do estresse, criando a diversidade dos aspectos clínicos.
Em 1936, Hans Selye, descobridor do estresse, publicou os seus primeiros trabalhos sobre o assunto. Em 1950, descreveu a Síndrome Geral de Adaptação - Reação de Alarme, estágio de Resistência e de Exaustão - com seus aspectos bioquímicos e endócrinos, mostrando qual a reação não específica do organismo às agressões do mundo exterior. Para ele, a intensidade da demanda, a duração e a repetição determinam a resposta. E condiciona o bom ou o mau estresse à eficiência ou não da fase de adaptação. Para Selye, todo indivíduo tem um capital de energia biológica diferente e pode consumir suas reservas conforme tenha maus estresses.
Na reação de alarme, a primeira resposta do organismo ao estresse, entra em ação o sistema hipotálamo-simpático-adrenérgico que prepara o organismo para a luta ou fuga. Entram em jogo a adrenalina e a noradrenalina, com isso, há muita produção de glicogênio, taquicardia, respiração acelerada, concentração do sangue nos vasos principais e nos músculos estriados, inibição dos sistemas digestivo, sexual e imunológico.
Depois disso, outro sistema vai entrar em jogo,o hipotálamo-hipófiso-suprarrenal com produção de ACTH e corticóides. Esses sistemas entram em funcionamento na fase de reação e o organismo pode sofrer esgotamento ou entrar na fase de exaustão, tendo como resultado final doença e morte. São inúmeras as doenças de adaptação, entre elas, hipertensão, úlcera, hemorróidas, ataques cardíacos, acidente vascular cerebral, diabetes, enxaqueca, etc.
Hoje, como avanço dos estudos, considera-se o sistema limbo-hipotálamo-hipófiso-suprarrenaliano (LHHS). Através do hipotálamo na zona parvocelular mediana do núcleo paraventricular (NPV), são liberados o CRF, o Fator de liberação corticotrófico (Corticotrophin Releasing Factor) e a Argenina Vasopressina (AVP) - que determinam a liberação de ACTH pela hipófise e esta o cortisol pela suprarrenal.
Com vemos, o estresse está ligado ao centro das emoções no hipotálamo, assim é importante o estudo de fatores como o medo, a raiva, etc, nos seus mecanismos e reações. Assim, quando o indivíduo sente raiva, por exemplo, é como se ele estivesse diante de um predador, de um perigo iminente e isto desencadeia a reação.
Como vimos, cada indivíduo tem uma reação específica frente ao estresse. Ele coloca suas estratégias de ajuste cognitivas e comportamentais, o "coping", para fazer face aos agentes estressores.
As pesquisas têm demonstrado que doenças como depressão estão absolutamente ligadas ao estresse. Investigação ampla, realizada em 52 países, da qual participou o Dr. Alvaro Avezum, do Brasil, acerca dos fatores de risco da doença cardíaca, demonstrou que os psico-sociais entram em mais de 30% dos casos.
O estresse é o campo da medicina que reunifica corpo e alma.
O seu estudo está, intimamente ligado à espiritualidade.
Segundo as lições espirituais dadas em 1947, no livro No Mundo Maior, o nosso cérebro tem três áreas distintas: a inicial, onde habita o automatismo e que está no plano subconsciente, a do córtex motor que engloba as conquistas do hoje e está na área do consciente e a dos lobos frontais que representam o ideal e a meta superiores e estão vinculados ao superconsciente. Esta classificação encontra respaldo no livro de Paul Maclean, de 1968, The Triune Brain in Evolution, que nos fala acerca dessas três regiões, afirmando que vemos o mundo através de três cérebros distintos.
Aprendemos também com os Instrutores Espirituais que somos seres em evolução. Quanto mais perto nos encontramos da animalidade mais agimos com instintos e sensações. Com o passar do tempo, e a evolução espiritual consequente, passamos a ter sentimentos, sendo o amor, o mais sublimado
deles. Se estamos escravizados aos instintos, a maneira pela qual fazemos face aos fatores estressantes é muito primitiva e resulta quase sempre em um mau estresse.
Aprendemos também que é preciso humildade para vencer a animalidade inferior. Infelizmente, porém, em nossas relações em sociedade e no lar estamos muito longe desse sentimento sublime que está intimamente ligado ao amor.
Assim, a fé é importante porque abre as portas do coração
para sentir e viver o amor divino em nossas vidas. Através da oração, da meditação, da compreensão do valor da dor, temos a possibilidade de conhecermo-nos a nós mesmos e a reagirmos de forma mais equilibrada às tensões da existência humana. Compreendemos, igualmente, que é preciso treino para o perdão e para eliminação da raiva, da inveja, da mágoa e de outros sentimentos negativos.
A nossa busca da paz para viver no lar, no ambiente de trabalho, dentro da sociedade tem de ser centralizada em Jesus, o Médico da Almas, que afirmou ter a paz verdadeira para nos oferecer. Chico Xavier disse com muita sabedoria: "A paz em nós não resulta de circunstâncias externas e sim da nossa tranquilidade de consciência no dever cumprido." Para vencer positivamente o estresse é preciso guardar a paz, tê-la como patrimônio. E esta pacificação interior que é responsável pelo sucesso do "Coping", só será uma conquista definitiva quando houver harmonia entre os três cérebros. Para isso, no entanto, é imprescindível não esquecer que é preciso fé em Deus e obediência às Suas Leis.

* Dra. Marlene Nobre é presidente da Associação Médico Espírita do Brasil e Internacional